segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Vestibular seleciona quem tem melhor conhecimento?

A UNIR divulgou resultado da segunda fase dia 23.01 e embora os processos para ingresso aos cursos de graduação das universidades tanto pública quanto privada estejam suscetíveis a críticas, devido ao próprio modelo que se vem adotando ultimamente , o vestibular muitas vezes acaba não cumprindo o seu objetivo. E mais do que isso: permite um diagnóstico da situação atual do ensino. Os números, as estatísticas, que sugerem precisão na forma de avaliar, têm as suas falácias: por exemplo, se o ponto de corte de um determinado curso é 70 acertos, o candidato que obtiver 69 estará fora da universidade. Perguntamos: o que representa, concretamente, esse ponto que faltou ao candidato no vasto campo do conhecimento? Outra: quem dentre os dois candidatos acertou mais questões no "chute", que também faz parte do "jogo"?
Suponhamos que o candidato atingiu o ponto de corte, está selecionado e vai para a segunda fase dependendo da redação. Então vem a regra determinando que, para ingressar na universidade, o candidato precisa obter, no mínimo, nota 1,0 na redação. Convenhamos, quem tira 1,0 na redação, numa escala de 0 a 5, não sabe escrever.Então porque o aluno que tirou 1,0 entrou para a universidade e o que tirou 4,5 não conseguiu? Não é a redação parte eliminatória do vestibular? Injustiça???Esses são dois problemas relativos ao modelo adotado, que cobra os conteúdos escolares sem muito critério. Se tomarmos o ensino de português como exemplo, vamos verificar que são aulas e aulas tanto no primeiro quanto no segundo ano de conteúdo gramatical - antes era a gramática da frase, hoje é a do texto - para o candidato "devolver" tudo no vestibular, acreditando que, ao introjetar as regras ou o conteúdo teórico, o aluno estará aprendendo a língua,muitas vezes sem ter produzido um texto sequer no decorrer desses 2 anos começando a produzir somente no terceiro ano - isto é ,quando encontra educadores conscientes. E a prática como fica? - aprendemos a escrever, escrevendo. Não basta só teoria gramatical ou dizer ao aluno, por exemplo, que um texto tem introdução, desenvolvimento e conclusão. A escola deve ensinar como se faz e isso deve ser um compromisso de todas as disciplinas,não só na língua portuguesa.

Como resposta à pergunta acima e descontando os problemas referentes ao modelo de avaliação, o vestibular seleciona melhor os que tem conhecimento - vamos dizer assim - nos cursos com maior relação candidato-vaga, com maior concorrência. Mas é injusto para com aqueles que tiraram 6,0/7,0 na média total não conseguindo entrar enquanto que em cursos de menor concorrência,alunos com média 3,0 conseguiram. Porém, se a nota mínima exigida para redação na segunda fase no vestibular fosse 7 em todos os cursos numa escala de 0 a 10, a universidade não preencheria todas as suas vagas, o que revelaria, com mais evidência, a atual crise do ensino no país.Precisamos lutar pela mudança na educação e nos vestibulares,pois os critérios adotados não são justos para com os alunos que detêm mais conhecimento.

domingo, 25 de janeiro de 2009

Vestibular é maturidade...

Todo vestibular - seja para a área que for - está associado diretamente com provas e estudos. Mas além disso tudo, também marca a transição do adolescente para o mundo adulto. Você já parou para pensar o que vai mudar na sua vida depois de entrar na faculdade? Para muitos significa uma nova vida longe de casa e da família, para outros o começo da busca de um sonho profissional. Por isso o vestibular serve também como um processo de amadurecimento, que vai desde a escolha da carreira, até o compromisso em estudar visando uma boa universidade e/ou faculdade. Aliás, você sabia que o termo vestibular deriva de ‘vestíbulo’ que quer dizer: átrio, portal ou entrada? Então, você está deixando uma etapa da sua vida para trás e entrando em um novo caminho.Você quer este novo caminho?Está disposto a lutar por uma vida profissional melhor?Depende de você se será bom ou ruim e isso é difícil dizer, pois as indefinições são comuns em momentos importantes de nossas vidas. Independentemente disso, esses momentos nos fazem rever nossos valores, conhecer nossos limites e descobrir coisas novas. Aproveite esta etapa da vida e aceite que o vestibular tem o poder de mexer com nossas emoções e sonhos. Não adianta fugir, o início do ano é só o começo para se ter no vestibular o sucesso esperado. Suas ações agora serão o resultado do teu objetivo amanhã!
video

Reforma Ortográfica

Em 1990,os oito paises que adotaram a língua portuguesa como principal-Portugal,Brasil,Moçambique,Angola,Guiné-Bissau,Cabo Verde,Timor Leste,São Tomé e Príncipe- decidiram unificar as regras e simplificar a grafia. De todas as línguas faladas no mundo, o português era a uúnica que não estava unificada e sofreu reformas que embora tenhamos um prazo para usá-la em definitivo é bom começar a treinar.Com essa são 03 as reformas no Brasil (1943,1971 e agora em 2008).Já em Portugal, a mais recente ocorreu em 1945.Entretanto essa reforma atinge em nosso país de 0,5% a 2% da grafia praticada enquanto que em Portugal de 1,5% a 4%. O escritor Ruy Castro não vê com bons olhos as novas regras da língua portuguesa: “Já passei da idade de reaprender a escrever. Vou seguir usando a ortografia vigente no dia de hoje e, no futuro, se quiser, o computador que me corrija."Por se tratar de um assunto que atingiu a todos nós, gerou polêmica e debates em botequins, mesmo se tratando de mudanças suaves, mas as novas regras começaram para valer e nós teremos de nos adaptar aos novos tempos.
Na página http://comunicadores.info/2008/10/02/guia-da-reforma-ortografica-da-lingua-portuguesa-saiba-o-que-mudou-na-ortografia-brasileira/ Douglas Tufano traz o "Guia Prático da nova ortografia.Consulte-o!

Linguagem em Alerta

"Hj eu tô aki p/ falar c/ vcs s/ algo mto iportte: a nossa linguagem."

Geralmente, os internautas que têm o costume de passar algum tempo no msn entenderam fielmente a primeira oração escrita nesta matéria. Mas para quem não entendeu sinta-se aliviado.

A frase acima caracteriza um tipo de linguagem utilizada pelos internautas, que em virtude da velocidade da máquina, deve ser prática e de certa forma clara.

Porém, o que parece uma divertida conversa virtual pode conter alguns perigos na sua vida de concursos,vestibulares e mesmo produção na escola no dia a dia, principalmente na hora da redação.

Isto porque mesmo que relutemos, utilizamos este tipo de linguagem, o que pode alterar nossa escrita. Esta situação é preocupante, partindo do princípio de que em qualquer vestibular ou ENEM no Brasil, a redação tem como base a linguagem culta. Neste sentido, uma forma tão coloquial como esta fará com que você perca pontos importantes.

A internet é um dos meios de comunicação mais completos que existe, essencialmente, se soubermos usá-la. Da mesma maneira que ela oferece consultas rápidas, pluralidade de conteúdos, velocidade de informações, ela também tem essa característica depreciativa. Fica reservado a você, vestibulando, a responsabilidade de atentar para estes dois opostos.

Na hora da redação, e antes dela, repense sobre como está o seu repertório lingüístico, ou seja, como anda seu vocabulário. Afinal, atualmente, a redação concentra grande parte da pontuação da prova de vestibular e, não custa nada enriquecer um pouco mais as suas palavras preparando-se antes com muita leitura e treino,pois não basta ter a informação,você precisa saber como relacionar e trabalhar os argumentos fugindo do senso comum.

Caso você tenha dificuldades, consulte os jornais virtuais, alguns resumos, pois mesmo na “net” há possibilidade de adquirir muito conteúdo. Comece já e Boa Sorte!